Síndrome de Weil com sangramento vaginal: um relato de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.37085/jmmv3.n2.2021.pp.29-31

Palavras-chave:

zoonoses bacterianas; leptospirose; Doença de Weil

Resumo

Leptospirose é uma zoonose comum no Brasil, cuja incidência é aproximadamente 1,9 casos por 100.000 habitantes. É causada pela bactéria Leptospira, transmitida pelo contato com água, solo ou tecido animal contaminado. As manifestações clínicas variam a depender da fase precoce ou tardia, abrangendo desde sintomas inespecíficos, como febre, cefaleia, mialgia e vômitos, até disfunções orgânicas graves, como a Síndrome de Weil (icterícia, lesão renal e hemorragias). Este trabalho descreve uma mulher de 51 anos com quadro de febre, icterícia, dor em membros inferiores e sangramento vaginal de moderada intensidade. Recebeu diagnóstico de síndrome de Weil com sangramento vaginal pela história clínica, laboratorial e sorologia positiva para leptospirose. Foi iniciado antibioticoterapia, evoluindo com melhora e consequente alta hospitalar. Por ser uma doença subnotificada, faz-se necessário identificar os sintomas e possíveis manifestações atípicas, a fim de facilitar o diagnóstico precoce, além de desenvolver estratégias preventivas na tentativa de minimizar custos e diminuir complicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DAHER, EF. et al. Different Patterns in a Cohort of Patients with Severe Leptospirosis (Weil Syndrome): Effects of an Educational Program in an Endemic Area. The American Journal Of Tropical Medicine And Hygiene, [s.l.], v. 85, n. 3, p.479-484, 2011. DOI: https://doi.org/10.4269/ajtmh.2011.11-0080

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Leptospirose: diagnóstico e manejo clínico / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

MARTINS, MA. et al. Clínica médica: Alergia e Imunologia Clínica, Doenças da Pele, Doenças Infecciosas e Parasitárias. 2. ed. Barueri: Manole; 2016. 7v.

HAAKE, DA.; LEVETT, PN. Leptospirosis in Humans. Current Topics In Microbiology And Immunology, [s.l.], p.65-97, 12 nov. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/978-3-662-45059-8_5

FRY, NK.; LARAGIONE, RM.; READY, D. Leptospirosis. Journal Of Medical Microbiology, [s.l.], v. 68, n. 3, p.289-289, 2019. DOI: https://doi.org/10.1099/jmm.0.000899

HERATH, NJ.; KAMBURAPOLA, CJ.; AGAMPODI, SB. Severe leptospirosis and pancreatitis; A case series from a leptospirosis outbreak in Anuradhapura district, Sri Lanka. Bmc Infectious Diseases, [s.l.], v. 16, n. 1, 7 nov. 2016. DOI: https://doi.org/10.1186/s12879-016-2010-4

JIMÉNEZ, JIS et al. Leptospirosis: Report from the task force on tropical diseases by the World Federation of Societies of Intensive and Critical Care Medicine. Journal Of Critical Care, [s.l.], v. 43, p.361-365, fev. 2018. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jcrc.2017.11.005

SPICHLER, SPICHLER, A. et al. Weil's disease: an unusually fulminant presentation characterized by pulmonary hemorrhage and shock. Brazilian Journal of Infectious Diseases, v. 9, n. 4, p. 336-340, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-86702005000400011

SEGURO, Antonio Carlos; ANDRADE, Lúcia. Pathophysiology of Leptospirosis. Shock, [s.l.], v. 39, p.17-23, maio 2013. DOI: https://doi.org/10.1097/shk.0b013e31828fae49

SCHÖFFEL, N. et al. Leptospirose. Zentralblatt Für Arbeitsmedizin, Arbeitsschutz Und Ergonomie, [s.l.], v. 66, n. 1, p.37-39, jan. 2016. DOI: https://doi.org/10.1007/s40664-015-0078-0

Downloads

Publicado

29/12/2021

Como Citar

Brito, L. K. D. ., Leal, M. E. C., Silva, G. H. B. S. da, Fernandes, H. A. ., & Maia, I. O. A. . (2021). Síndrome de Weil com sangramento vaginal: um relato de caso. Jornal Memorial Da Medicina, 3(2), 29–31. https://doi.org/10.37085/jmmv3.n2.2021.pp.29-31

Edição

Seção

Relatos de Casos

Categorias